quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

Bloco da Saudade - Saudade Vai Passar (1996)


Em 1962, imbuído com um espírito nostálgico dos carnavais da primeira metade do século XX, o compositor Edgard Moraes compôs a marcha Valores do Passado, homenageando 24 blocos pernambucanos já extintos. Na letra da canção, o autor idealizava o "Bloco da Saudade", uma agremiação que tomaria as ruas do Recife revivendo aqueles inesquecíveis grupos carnavalescos, representantes de uma manifestação cultural do Carnaval Pernambucano que estava desaparecendo e sendo esquecida.
Eis que, em 1973, onze anos depois de Edgard Moares ter composto a canção, um grupo de amantes do Carnaval, encabeçado por Antônio José Madureira "Zoca" e Marcelo Varela, apostou com o compositor que criaria o Bloco da Saudade e que com ele reviveria os antigos carnavais cuja tradição encontrava-se praticamente perdida. O hino seria exatamente o frevo Valores do Passado.
Madureira e Varela cumpriram sua promessa e colocaram, no Carnaval de 1974, o Bloco da Saudade pela primeira vez na rua, desfilando pelo bairro do Cordeiro. Ainda sem o característico abre-alas (tradição dos blocos de pau e corda que só seria reintroduzida pelo Bloco da Saudade anos depois), os integrantes fundadores do bloco trouxeram de volta a tradição dos blocos de pau e corda ao Carnaval do Recife e de Olinda.
Em 1980, assume o destino do Bloco um outro grupo diretivo que continua o trabalho do anterior, tendo à frente Izabel Bezerra - atual presidente - que, juntamente com Amilcar Bezerra e Luis Moraes Mota, colocou a agremiação na rua naquele carnaval. Nos anos seguin-tes, Euda Brasil se juntaria ao grupo que comandaria os destinos do bloco a partir de então. O apoio da Associação Atlética do Banco do Brasil - AABB, que cedeu o salão do clube para os acertos de marcha nas semanas que antecedem o Carnaval, foi de grande importância para a consolidação do prestígio do Bloco da Saudade neste período.
Graças à semente plantada pelo Bloco da Saudade no Carnaval do Recife, o sonho de Edgard Moraes e dos jovens carnavalescos de ressuscitar o gênero musical marcha-de-bloco como manifestação de rua rendeu frutos inestimáveis. Desde o seu primeiro desfile, a agremiação vem se firmando a cada ano como uma entidade fundamental na recuperação da antiga tradição dos blocos de pau e corda, tendo estimulado inclusive a proliferação de um número crescente de novas agremiações, algumas delas, adotando nomes de antigos blocos. Como exemplo, temos: Nem Sempre Lily Toca Flauta, Aurora de Amor, Um Bloco em Poesia, Flor do Eucalipto, Sinta Azul, Bloco Esperança, Flor da Vitória-Régia, Bloco das Ilusões, Cordas e Retalhos, Confete e Serpentina, Pára-Quedista Real e Eu Quero Mais, entre outros.
Até hoje, sem nenhuma subvenção oficial, o Bloco da Saudade sai às ruas do Recife e Olinda levando aos foliões marchas de bloco antigas e atuais, com o seu coral feminino e orquestra de pau e corda. As cores do bloco são o encarnado, o azul e o branco como a cor neutra entre as duas cores elementares usadas na cultura popular do nordeste.
Fonte: http://www.blocodasaudade.org.br

Foto por Haidee Lima

Download: Saudade Vai Passar (1995)

Músicas:
01 valores do passado
02 madeira que cupim não rói
03 panorama de folião
04 frevo da saudade
05 no sítio dos valenças
06 terceiro dia
07 chora batutas
08 paraquedista
09 saudade
10 alegorias
11 último regresso
12 não diga adeus ainda
13 onde andará maria?
14 sonhos de pierrot
15 recife antigo
16 relembrando o passado
17 é o bloco da saudade
18 velhos tempos de criança
19 saudade da saudade
20 despedida

2 comentários:

Unknown disse...

Link Quebrado! Poderia Postar Novamente?

Ex-Pitoca Sobrevivente, Pirata Alma Negra disse...

Olá, colocaram o link do disco errado...